·Visitante terá acesso à história de estilistas e marcas de destaques do circuito criativo da moda, como: Coco Chanel; Christian Dior e Coleção Rhodia;

Anúncio "Rhodia crescendo com o Brasil"

 

  •  Em comemoração aos seus três anos de abertura, o Farol Santander São Paulo, inaugura em 22 de janeiro (sexta-feira), a exposição A Arte da Moda - Histórias Criativas, que estará aberta para visitação até o dia 04 de abril de 2021.

 

  •  Instalada nos andares 19 20 do edifício, a mostra, com curadoria de Giselle Padoin, apresenta as relações entre arte e moda, além do desenvolvimento do trabalho de criação dos ateliês no Brasil e na Europa (especialmente na França).

 

  •  A Arte da Moda – Histórias Criativas ressalta a profunda influência da revolução estética que se iniciou em Paris sobre artistas e personalidades do meio cultural, a partir de 1910.

 

  •  Os visitantes terão a oportunidade de conhecer e vivenciar, por meio de 170 itens, muitos deles exibidos pela primeira vez em uma exposição, a história da moda e a sua evolução do clássico ao contemporâneo.

 

  •  A exposição A Arte da Moda – Histórias Criativas é apresentada pelo Santander via Lei Federal de Incentivo/Secretaria Especial da Cultura/Ministério do Turismo e patrocínio da Rhodia.

 

20º ANDAR

  •   Logo na entrada, uma Linha do Tempo mostra os grandes nomes da moda francesa e brasileira por meio de registros fotográficos históricos, bijuterias de Yves Saint Laurent da coleção particular de Rose Benedetti dos anos 60 e 70, além do corset de uma das peças da coleção “A Costura do Invisível”, de Jum Nakao.

 

  •  Na sequência, Acervo Coco Chanel exibe fotos, sapato, bolsa, colar e perfume, além de livros, como Madame Bovary, de Gustave Flaubert (Edição de 1936), uma das obras que inspirou a estilista que adorava ler, e foi considerada uma das mais inovadoras de seu tempo.

 

  •  Vindos de Paris, três peças da coleção Christian Dior Couture, incluindo um look completo da Coleção Cirque/Alta-costura primavera-verão 2019, de Maria Grazia Chiuri e um vestido vermelho/Red Dress, do estilista britânico Bill Gaytten, da coleção Alta-costura primavera-verão 2012, estarão no ambiente expositivo, que ainda contará com doze fotos do Ateliê DIOR, realizadas pelo fotógrafo francês Gérard Uféras.

 

  •  Mulheres Modernas: Tarsila do Amaral é uma ala da mostra que exibe pela primeira vez peças do vestido de casamento da artista brasileira. Pertencente ao acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo, a peça de cor creme e tecido em brocado e chamalote foi feita pelo estilista francês Paul Poiret, a partir da cauda do vestido de casamento da mãe de Oswald de Andrade, para a cerimônia matrimonial de seu filho com Tarsila, em 1926. Os itens expostos serão a capa branca forrada de veludo e o corset.
  •  O quadro Autorretrato, manteau rouge (1923), pintado em óleo sobre tela, que marca a mudança de estilo de Tarsila para o Cubismo, da Coleção do MNBA do Rio de Janeiro também fará parte do núcleo, ao lado de seus objetos pessoais como caderneta de anotaçõescaixa de chapéupinceispaleta de cores e catálogo de exposição na Galerie Percier (Paris) de 1926.
  •   Ainda no 20º andar, um ambiente reúne fotos históricas; ilustrações de Moda Art Déco, feitas por artistas franceses como George Barbier e Georges Lepape, dos anos 10 e 20; capas da Vogue dos anos 20, ilustradas pela artista americana Helen Dryden.

 

  •  Ballets Russes: Em um espaço ambientado com trilha sonora gravada pelo pianista Léo Bittencourt (músicas de Erik Satie e Claude Debussy – compositores dos Ballets Russes), a exposição faz referência ao movimento dos Ballets, impulsionado pelo russo Sergei Diaghilev, que agitou Paris e conectou o balé com arte, moda, música e outras expressões artísticas. Itens como bailarinas em porcelana Rosenthal e Capodimonte dos anos 20; fotos e ilustrações dos Ballets feitas por George Barbier em 1913 integram o núcleo.

 

  •  O Acervo Fernanda Nadal trará amostras de bordado Lunéville, técnica francesa de alta-costura adotada pela designer paranaense, que explora também diferentes estilos de bordados manuais, matérias e texturas.
  •  Ao final do roteiro no 20º andar, uma galeria exibirá um importante material audiovisual: Quatro vídeos dos ateliês da Maison Dior e o filme “Haute Couture” (1949), de Henri A. Lavorel, que mostra Christian Dior nos bastidores e o trabalho dos ateliês de alta-costura dos salões da Maison.
  •   Seis vídeos comemorativos da São Paulo Fahion Week, com registros dos seus 25 anos, também serão exibidos ao público.

 

19º ANDAR

 

  • A exposição continua no 19º andar, com o Espaço interativo, um ambiente com mini roupas inspiradas nos estilistas da mostra e bonecas feitas de magneto, onde crianças e adultos poderão montar os seus próprios looks com os materiais disponibilizados. Todos os cuidados sanitários e de higienização serão efetuados pela monitoria da mostra após o manuseio dos itens por parte dos visitantes.
  •  Entre os destaques da sala, estão dez vestidos da Coleção Rhodia das décadas 60 e 70, pertencentes ao acervo do MASP, desenvolvidos por designers e estilistas com a colaboração de artistas da época como: Dener Pamplona, Alceu Penna, Ugo Castellana, Fernando Martins, Hércules Barsotti, Alfredo Volpi e outros.
  •  O espaço ainda conta com fotos históricas dos grandiosos desfiles da marca, além de desenhos e gravuras de artistas plásticos que participaram da iniciativa da Rhodia para impulsionar a moda genuína brasileira.
  •  Ainda sobre a iniciativa da Rhodia, que hoje faz parte do Grupo Solvay, a mostra terá cinco obras de artistas plásticos neoconcretistas, pertencentes à Coleção Santander Brasil e que criaram estampas para a marca na época: duas tapeçarias de Genaro de Carvalho e gravuras de Hércules BarsottiManabu Mabe; Alfredo Volpi.
  •  O espaço também recebe parte do acervo da SISSA Brasil, da designer Alessandra Affonso Ferreira. Serão dezoito peças, entre vestidos, saias, casacos, cadernos da artista, material de pintura e desenhos, além de vídeos e demonstrações do trabalho de tecelagem manual, desenvolvido em parceria com o tecelão Renato Imbroisi e as Tecedeiras do Muquém, que trabalham em teares centenários no sul de Minas Gerais.
  •  O trabalho de tecelagem realizado no distrito de Muquém (MG) ainda terá um destaque especial durante os três primeiros dias da exposição, já que os artesãos Edmilson Maciel (28 anos) e Igor Carvalho (19 anos), participantes da nova geração do grupo, farão uma demonstração de seus trabalhos artesanais aos visitantes, ofício que aprenderam convivendo com as tecedeiras de gerações anteriores.
  •  Para finalizar a mostra, o núcleo O Futuro da Moda apresenta fotos da coleção de Jum Nakao, “A Costura do Invisível”, apresentada em junho de 2004, na SPFW.
  • Três peças produzidas em tecnologia 3D pela designer mineira Gláucia Froes, também compõe a ala O Futuro da Moda, abordando a evolução e modernidade do setor ao longo dos anos.

 

Protocolos de segurança e saúde

Para zelar pela segurança e saúde de seu público e funcionários, haverá medição de temperatura e tapetes sanitizantes e secantes para ingresso no prédio; será obrigatório o uso de máscaras; dispensers de álcool em gel estarão disponíveis em todos os andares do edifício e o ambiente também contará com sinalizações para que todos respeitem o distanciamento de 1,5 metro. O Farol ainda reforçou o serviço de limpeza e higienização de todo o prédio.

 

Sobre o Farol Santander São Paulo

Desde sua inauguração, em janeiro de 2018, o Farol Santander já recebeu mais de 750 mil pessoas e 19 exposições de arte nos eixos temático e imersivo. As atrações do Farol Santander ocupam 18 andares dos 35 do edifício de 161 metros de altura que, por um longo período, foi a maior estrutura de concreto armado da América do Sul.

 

As visitas começam pelo hall do térreo, onde os paulistanos e turistas acabaram de ganhar mais um espaço de conveniência. O Hall possui a Loja da Cidade, onde os visitantes poderão encontrar itens oficiais do Farol e de suas exposições; e mais uma unidade do Suplicy Cafés Especiais, que já ocupa o Mirante do 26º desde a inauguração.

 

Do 2º ao 5º andar os visitantes podem conhecer a história do prédio e da própria cidade, no Espaço Memória, que tem mobiliários originais feitos pelo Liceu de Artes e Ofícios nas salas de reuniões, diretoria e presidência. No 4º andar, uma instalação permanente e exclusiva do Farol Santander: Vista, desenvolvida pelo renomado artista brasileiro Vik Muniz. 

 

No subsolo do edifício, está instalado o Bar do Cofre SubAstor, onde funcionava o cofre do Banco do Estado de São Paulo desde 1947 (tombado pelo Patrimônio Histórico). O bar é ambientado com as características da época e pitadas contemporâneas em design e mobiliários, com cartas de drinks especiais, além de comidinhas.

Sobre a Rhodia, empresa do Grupo Solvay

Sob as marcas do pioneirismo e da inovação, a Rhodia, empresa do Grupo Solvay, atua no Brasil há 101 anos. A empresa iniciou sua trajetória de sucesso em Santo André – SP, com a instalação de uma unidade industrial de produtos químicos, que representou o primeiro passo da industrialização da região do ABC paulista.

 

Sempre à frente do seu tempo, a Rhodia tem dado ao longo desse período uma contribuição decisiva para o fortalecimento do setor químico/têxtil e da indústria do Brasil em geral, com o desenvolvimento de tecnologias, processos e produtos para diversos mercados, e com um profundo relacionamento com a sociedade brasileira.

 

Ao longo de sua trajetória, a Rhodia tem sido uma grande incentivadora do setor têxtil/moda com o lançamento de produtos inovadores e sustentáveis, além do apoio a diversas iniciativas para o desenvolvimento de uma cadeia produtiva, envolvendo a indústria, os estilistas, os criadores de cultura e da moda genuinamente brasileiras com o objetivo de valorizar o País e sua gente.

 

“Nosso compromisso continua sendo o de contribuir para o crescimento do setor têxtil/moda, a partir do Brasil, com o desenvolvimento de produtos como os fios e fibras têxteis funcionais e sustentáveis, além de apoiar diversas iniciativas na área, tais como a exposição A Arte da Moda”, afirma Odete Duarte, Diretora de Comunicação Corporativa do Grupo Solvay na América Latina.

Saiba mais em www.rhodia.com.br e em www.solvay.com

 

Serviço A Arte da Moda – Histórias Criativas:

Farol Santander São Paulo – de 22/01 a 04/04

Onde: Rua João Brícola, 24 – Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô)

Site Farol Santander: farolsantander.com.br

Funcionamento: terça a domingo (aberto excepcionalmente no feriado de 25/01 (segunda-feira)

Horários: 10h às 20h (terça a domingo)

** Horários sujeitos a alteração de acordo com possíveis novas determinações das autoridades públicas. Consulte o site.

Ingressos: R$ 25,00 (visitação completa ao Farol Santander) site e bilheteria física no local.

Crianças de até 2 anos e 11 meses não pagam ingresso. A partir dos 3 anos, pagam meia entrada e, a partir dos 12 anos, é necessária a apresentação de RG e carteirinha de estudante para o pagamento da meia.

Classificação: Livre

Brigada de incêndio e Seguranças: Efetivo total de 60 pessoas

Banheiros: 2 por andar – 1 masculino e 1 feminino (4º, 8º, 21º, 22º, 23º, 24º e no 26º andar)

* Funcionamento com capacidade reduzida em 40%

*Tempo máximo de visitação ao prédio: 1h45

*Monitoria no andar

* Instalações acessíveis para cadeirantes

 

Mais Informações:

MARRA COMUNICAÇÃO – Assessoria de Imprensa Farol Santander
Vinícius Oliveira: vinicius@paulomarra.com.br - 11 95946-2063

Luiz Lamboglia: luiz@paulomarra.com.br - 11 99179-1917

Paulo Marra: paulo@paulomarra.com.br - 11 99255-3149  

Redação: redacao@paulomarra.com.br – 11 3258-4780

Site: http://marracomunica.com.br

 

Sobre a área de Fibras da Rhodia

Index Estratégias de Comunicação - @indexconectada

Luísa Marcomini – luisamarcomini@indexconectada.com.br - (11) 3068-2000

 

Sobre o Grupo Solvay e a Rhodia no Brasil

Roberto Custódio – roberto@pexpress.com.br e

Marcela de Paula – marcela@pexpress.com.br

Tels. (55 11) 3284 5164 ou celular (55 11) 999 33 8148