Boletim Nosso Ambiente Paulínia

Sai pra lá, carrapato!

Transmissores de doenças, esses artrópodes* proliferam com o aumento da temperatura

Além de incômodas, picadas de carrapato podem ser perigosas. Transmissor de vírus, bactérias e protozoários, esse artrópode hematófago, isto é, que se alimenta de sangue de mamíferos e aves, é propagador de várias doenças, algumas delas graves.

Para as pessoas, um dos tipos mais perigosos é o carrapato-estrela, também conhecido como carrapato-de-cavalo ou micuim. Ainda na fase de larva, ele fica em plantas ou moitas de capim. Minúsculo, do tamanho da cabeça de um alfinete, pode ficar até 24 meses sem se alimentar aguardando alguém esbarrar na vegetação para, assim, infestar seu futuro hospedeiro.

Onde pica, provoca coceira e inflamação, que às vezes perduraram por semanas. E, se o carrapato estiver infectado pela bactéria Rickettsia rickettsii, pode transmitir a febre maculosa, doença que pode ser fatal.

Com sintomas parecidos com de outras enfermidades, o diagnóstico precoce é essencial para evitar que o mal evolua para quadros mais graves. “O tratamento é feito à base de antibióticos e pode levar de dias a semanas”, informa o Dr. Valmir Azevedo, médico da Rhodia. 

Centenas de casos são confirmados a cada ano no Brasil, especialmente na região Sudeste. Por isso, o melhor a fazer é prevenir. Veja algumas dicas do Dr. Azevedo:

capa-pla-1


Confira os sintomas (que surgem entre 2 e 14 dias após a picada)

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Manchas pelo corpo 
  • Dor muscular 
  • Náuseas 
  • Vômitos
  • Dor abdominal
  • Falta de apetite


capa-pla-2 
*Artrópodes são animais invertebrados com características como exoesqueleto (esqueleto externo) e pernas articuladas. Existem mais de 1 milhão de espécies de artrópodes.

A fórmula da sustentabilidade

Rhodia vai diminuir ainda mais as emissões de gases das suas fábricas

É possível fazer uma fábrica produzir mais e, ao mesmo tempo, reduzir a quantidade de gás carbônico (CO₂) que ela emite na atmosfera? A resposta é sim e a Rhodia vem trilhando esse caminho. Esse é um dos eixos que o Grupo Solvay, ao qual a empresa pertence, traçou para balizar sua estratégia de crescimento, que foi sintetizada em na expressão More Future (Mais Futuro). 
 
A meta definida é ambiciosa: até 2025, reduzir em 40% a intensidade das emissões de CO2 de suas unidades industriais em relação aos índices de 2014. E o que significa reduzir a intensidade das emissões? Ao contrário do que muita gente pensa, não se trata simplesmente de diminuir a quantidade de gases poluentes emitida. Reduzir a produção de uma fábrica, por exemplo, faria cair o volume de emissões. O que a Rhodia quer é continuar crescendo, fabricando cada vez soluções que estão presentes em inúmeros produtos do nosso dia a dia e impactando cada vez menos o meio ambiente. Por isso, a redução da intensidade é calculada considerando a quantidade de CO₂ emitido em relação ao resultado financeiro.

Como avançar nesse desafio de produzir mais, emitindo menos? São várias as frentes de atuação da Rhodia para:

  • Aumentar da eficiência energética das fábricas
  • Melhorar os processos industriais
  • Eliminar fontes de desperdícios
  • Utilizar novas fontes de energia, privilegiando as fontes renováveis de energia, como a biomassa.

Um dos importantes trunfos da empresa é a metodologia desenvolvida pelo Grupo para aumentar a eficiência energética das fábricas e reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Batizada de Solwatt, ela permite fazer um diagnóstico cuidadoso das condições de cada unidade industrial e identificar oportunidades que são a base para a elaboração e implantação de planos de melhoria.   

nosso-ambiente-pg2-brotas-sto-andre

Gerenciando o portfólio de produtos

Outro importante pilar que direciona as estratégias da empresa rumo ao futuro é a Gestão Sustentável do Portfólio. Também neste caso o Grupo desenvolveu uma ferramenta que consegue identificar quais são os produtos e aplicações que trazem mais benefícios para a sociedade e o planeta, levando-se em consideração os impactos ambientais associados ao seu ciclo de vida, ou seja, desde o tipo de matéria-prima usada na fabricação de um produto até o produto acabado e a sua aplicação pelos clientes.

Essa ferramenta está sendo usada para reorganizar as estratégias dos negócios da Rhodia rumo ao objetivo definido pelo Grupo Solvay no More Future:  ter, em 2025,  50% de suas vendas associadas a soluções sustentáveis.  Hoje o índice está em torno de 25%.     

Para isso, a empresa está empenhada em expandir as inovações e as vendas de produtos que:

  • utilizem ou favoreçam a energia renovável
  • sejam produzidas a partir de matérias-primas renováveis 
  • gerem benefícios à saúde e ao meio ambiente em suas aplicações
  • envolvam processos produtivos e logísticos mais eficientes e menos poluente


Conheça alguns destaques do nosso portfólio sustentável

  • Augeo – Família de solventes fabricados a partir da glicerina, uma matéria-prima de fonte renovável. Inovação desenvolvida no Brasil, essa tecnologia substitui produtos de origem petroquímica. Os solventes da família Augeo são mais amigáveis ao meio ambiente e à saúde humana.
  • Amni Soul Eco – A Rhodia criou o primeiro fio de poliamida biodegradável do mundo. Graças a essa tecnologia desenvolvida no Brasil, roupas fabricadas com esse fio degradam mais facilmente nos aterros sanitários, minimizando o impacto ambiental. Também made in Brazil é a linha de fios Amni Sustainable White que, além de apresentar um teor de branco único no mercado, reduz o consumo de água e os gastos com energia nos processos produtivos da indústria têxtil.
  • Technyl ECO – Linha de plásticos de engenharia fabricada a partir do reaproveitamento de fios têxteis e industriais não utilizados em outras linhas de produção da empresa. Com isso, a Rhodia transforma novamente em matéria-prima o material que seria descartado, economizando recursos naturais em seu ciclo produtivo.
  • Rhodiaeco – Premiada como uma inovação sustentável, essa tecnologia substitui produtos agressivos ao meio ambiente tradicionalmente usados no tratamento do couro. Desenvolvido pela Rhodia no Brasil, Rhodiaeco aperfeiçoa o processo produtivo da indústria do couro e contribui para reduzir a geração de efluentes.
  • Sílica Efficium – Nova geração da sílica de alta dispersabilidade (HDS), ela substitui o negro-de-fumo, produto de origem petroquímica comumente usado nas misturas de borracha para pneus. Além de melhorar o rolamento dos pneus, o que reduz o consumo de combustível e as emissões de poluentes dos carros, essa sílica diminui o consumo de energia no processo produtivo da mistura da borracha.  
  • Jaguar – Linha de produtos obtidos a partir de fonte vegetal (a goma guar), usados na formulação de xampus e sabonetes líquidos. Em breve, a Rhodia passará a fabricar no Brasil outra linha de ingredientes de origem vegetal para o mercado de produtos de cuidados pessoais, esta feita à base de óleo de palma. 

Uma jornada divertida para tratar de um assunto sério

Desafio de reduzir as emissões de CO₂ é tema da Semana do Meio Ambiente da Rhodia

Os veículos, as indústrias, a agricultura e até nós quando respiramos produzimos gás carbônico (CO2), um dos gases de efeito estufa. Ele é, sim, necessário à vida. Mas, em excesso, impacta o aquecimento global, provocando desequilíbrios que afetam milhões de pessoas. Por isso, reduzir suas emissões é assunto sério. Mas dá para abordar o tema de maneira leve e descontraída. Foi isso que aconteceu na Semana do Meio Ambiente da Rhodia, quando abrimos as portas da nossa unidade para falar sobre essa questão, mostrar o que estamos fazendo e incentivar cada um a fazer a sua parte.

Neste ano, participaram da nossa Semana 40 alunos das Escolas Municipal Vereador Ângelo Corassa Filho, Estadual Núcleo Habitacional José Paulino Nogueira e Estadual Francisco Alves, integrantes do Alquimia Jovem, projeto de educação complementar do Instituto Rhodia. Eles assistiram a palestras sobre as práticas sustentáveis da Rhodia e discutiram o principal tema em foco: os possíveis caminhos para reduzirmos as emissões de CO₂. 

E o que aprenderam com isso tudo? Muita coisa, como os estudantes mostraram na Gincana do Meio Ambiente. Divididos em quatro grupos, eles se engajaram numa divertida disputa de perguntas e respostas combinada com esportes. 

Na despedida, ganharam um brinde ecológico – um bonequinho que precisa apenas receber água e ser colocado ao sol para que nasça grama em sua cabeça, o seu “cabelo” natural. Foi uma forma simbólica de mostrar como, com atitudes simples, podemos contribuir para o meio ambiente. 


Como você pode ajudar a reduzir as emissões de CO2?

  • Utilize o transporte coletivo em vez do individual
  • Na hora de abastecer, troque a gasolina pelo etanol
  • Economize energia elétrica (parte dela é gerada pela queima de combustíveis fósseis, como os derivados de petróleo)

A Semana do Meio Ambiente é um evento anual promovido pela Rhodia em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente. 

PG4-Semana-Meio-Ambiente-PLA 


Depoimentos


PG4-PLA-Kimberllyn-Lilian 

“Eu já era ligada em evitar práticas que podem prejudicar o meio ambiente, como ficar muito tempo no chuveiro ou não apagar as luzes. A visita foi bem interessante para mostrar que Rhodia também está fazendo muitas coisas para fazer a parte dela.”

Kimberllyn Lilian Sousa, aluna do 8º ano da Escola Municipal Vereador Ângelo Corassa Filho

----------


PG4-PLA-Lucas-Rafael 

“Aprendo sobre sustentabilidade na escola e até na TV. Eu e minha família somos bastantes antenados nesse assunto. 
Por isso que achei a visita à Rhodia muito interessante. Pude ver na prática como devemos buscar o desenvolvimento pensando sempre em preservar o planeta.” 

Lucas Rafael de Oliveira, aluno 2º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Núcleo Habitacional José Paulino Nogueira